Queijo Minas Artesanal no Município de Coromandel-MG

  • Régis Pereira Cruvinel
  • Juliana Januzi Roquette
Palavras-chave: Leis e Portarias, Sanidade Animal, Boas Práticas de Fabricação, Qualidade do Leite

Resumo

O Queijo Minas Artesanal passou a ter amparo legal em 2002 a partir da publicação da Lei Estadual nº 14.185, que acabou estimulando órgãos de pesquisa em Minas Gerais a estudar o produto até então não reconhecido, apesar de sua importância. Sendo Coromandel-MG produtor de Queijo Minas Artesanal a presente pesquisa foi realizada neste município com o intuito de abordar criticamente as principais etapas que compõem os processos de produção do Queijo Minas Artesanal na região do cerrado. O objetivo do trabalho foi produzir um esboço técnico que aborde as etapas e os aspectos de produção, sanidade, boas práticas de fabricação e qualidade da matéria-prima. Foi selecionado como alvo de investigação apenas os agricultores cadastrados no município junto ao Instituto Mineiro de Agropecuária-IMA. Priorizou-se uma pesquisa de campo por meio de preenchimento de relatório de observação com síntese de resultados em tabela e gráfico das conformidades de acordo com as Leis e Portarias. Os resultados alcançados permitiram maior visibilidade técnica aos pesquisadores das etapas de produção e manipulação do Queijo Minas Artesanal nas regiões produtoras do município. Foi possível observar que não se pode estabelecer um único modelo do Queijo Minas Artesanal ainda que na mesma cidade, mas é preciso que existam os requisitos mínimos para se obter o padrão de qualidade. As Leis e Portarias comentadas pela pesquisa apresentam a segurança de produção do Queijo Minas Artesanal com qualidade.

Publicado
2019-06-07